Capitão Feio – Identidade | Nova Graphic MSP será lançada na Bienal

Sempre tão aguardada pelos fãs da Mauricio de Sousa e de graphic novels em geral, a coleção Graphic MSP traz o seu 16º título, Capitão Feio – Identidade, que promete cativar os leitores em seu lançamento na Bienal do Rio de Janeiro.

O lançamento é um dos destaques da Panini na 18ª Bienal Internacional do Livro, com sessão de autógrafos marcada para dia 9 de setembro, às 15h, no estande da editora. A publicação tem 100 páginas e chega em duas versões: capa dura, com preço sugerido de R$ 36,90, e brochura em capa cartão, por R$ 26,90. A edição conta ainda com 11 páginas de extras sendo estudos de arte, capas, curiosidades dos personagens e biografia dos autores.

Escrito e desenhado pelos gêmeos Magno e Marcelo Costa, a trama foca nas origens do vilão Capitão Feio, como um homem que não possui memórias nem passado, mas é extremamente poderoso. Solitário, quanto mais ele descobre seus misteriosos dons, mais difícil fica sua relação com a sociedade. Nesta Graphic MSP, os irmãos Costa fazem uma releitura angustiante e surpreendente do Capitão Feio, o principal vilão criado por Mauricio de Sousa.

Publicado pela Panini desde seu lançamento, há cinco anos, o selo Graphic MSP já se tornou referência no segmento, reunindo o melhor do traço nacional em HQs produzidas pelos mais diversos artistas e estilos que reinterpretam os clássicos personagens de Mauricio de Sousa, em seus próprios traços.

Capitão Feio de Mauricio de Sousa

Capitão foi criado por Mauricio de Sousa para os quadrinhos em 1972. Mas sua primeira aparição foi no teatro, na peça A Turma da Mônica Contra o Capitão Feio, que estreou em outubro do mesmo ano, no Teatro Aquarius, em São Paulo. Um mês depois, em novembro, o personagem enfim daria as caras nos gibis, na história Mônica Contra o Capitão Feio, publicada em Mônica 31.

Capitão Feio é um tio do Cascão que ganha seus poderes de sujeira após mexer numa pilha de gibis antigos e ser coberto por uma nuvem de poeira. E, quando se transforma, quer poluir o mundo, se desvincula completamente de seu alter ego e esquece tudo que viveu. Com o tempo, o Capitão Feio passaria a participar mais e mais das histórias, sempre causando problemas para a turminha do bairro do Limoeiro.

Os Irmãos Costa

Magno e Marcelo Costa nasceram em Cidade Gaúcha, no Paraná, e vieram para São Paulo em 1992. Começaram nos quadrinhos em 2008. Na época, enquanto faziam o álbum Oeste Vermelho, ambos tinham outros empregos. Mas foi só no final de 2011 a estreia no mercado, com o álbum já mencionado, publicado pela Devir, e Matinê, lançado de forma independente. Os elogios dos leitores e da crítica lhes renderam o Troféu HQ Mix de desenhistas revelação.

Os irmãos lançaram outras HQs independentes, como Bro, 2028 e Matinê — Volume 2. Participaram da coletânea Mônica(s) e assinaram uma história do álbum Memórias do Mauricio, ambos lançados pela Panini. Magno Costa trabalha com ilustração, colorização digital e produz quadrinhos o tempo todo. Já Marcelo Costa trabalha com ilustração editorial, publicidade, quadrinhos e colorização digital.