Review | A Origem do Dragão

O grande problema das produções americanas focadas em pessoas de outras nacionalidades são os maneirismos de Hollywood em tornar a história mais comercial e romantizada. Parece que é necessário que exista o bem contra o mal e um maniqueísmo em seus personagens para que a história fique mais atrativa ao grande público. A Origem do Dragão não escapa disso, mas ainda assim, consegue reunir bons momentos.

No filme, acompanhamos Bruce Lee (Philip Ng de A Hora do Acerto) antes de se tornar um grande astro do cinema, um mestre arrogante e que ensina os alunos a “chutar bundas”. Com a chegada de Wong Jack Man (Yu Xia de In the Heat of the Sun) nos Estados Unidos, um mestre shaolin que é contra o ensinamento das técnicas wing chun para brancos, o embate entre os dois se torna uma questão de tempo.

Um dos maiores trunfos do longa são as cenas de luta bem coreografadas, com uma câmera bem posicionada e sem inúmeros cortes que cansariam as vistas do espectador. Tudo ali é visível, e o melhor, sabemos o que está acontecendo.

É interessante notar também que o diretor George Nolfi (Os Agentes do Destino) se preocupou em chamar uma dupla chinesa para os papéis de Bruce Lee e Wong Jack Man, o que dá maior valor à cultura e língua oriental. Apesar disso, A Origem do Dragão falha em alguns pontos que o tornariam menos genérico.

É notável que diversos dos fatos históricos foram modificados, mas isso não chega a incomodar, o problema é o foco exagerado no personagem Steve (Billy Magnussen de Ponte dos Espiões), a princípio um aluno de Bruce Lee, mas que começa a se encantar com o estilo de Wong Jack Man. Muito do foco que poderia ir para Lee ou Wong acaba passando para Steve e seu romance com uma prisioneira da máfia chinesa em Chinatown.

Com isso, as personalidades de Lee e Wong são tratadas de maneira extremamente rasa, pouco vemos dos conflitos internos de ambos, Lee é arrogante a todo instante enquanto Wong é sempre pacífico e contido.

No geral, A Origem do Dragão serve como passatempo, tem seus momentos de comicidade – muitos – e a história da origem de Bruce Lee não tem tanto foco como poderia ter – uma pena – por isso pode frustrar os grandes fãs da lenda.