Review | Bruno Mars – 24K Magic

Bruno Mars tem uma carreira razoavelmente curta, mas já se destaca entre os grandes músicos do atual cenário pop. Autor de hits como Nothin’ on You, Billionaire e Fuck You!, todos sucessos na voz de outros cantores, Bruno lançaria seu primeiro trabalho em 2010 com o radiofônico Doo-Wops & Hooligans. Dois anos depois chegaria Unorthodox Jukebox e com ele mais uma leva de singles. Consolidado, lança agora 24K Magic, onde apresenta um trabalho mais focado em suas origens e, por isso mesmo, mais arriscado.

Depois de varrer o mundo no ano passado com Uptown Funk, parceria com Mark Ronson, já estava na hora de Bruno Mars mostrar ainda mais seu potencial. 24K Magic chega carregado de expectativa, demonstrando ser um álbum bem construído, extremamente dançante, com uma sonoridade que remete as raízes do funk e do soul. Em apenas nove faixas, 24K Magic consegue colocar o cantor como um dos artistas de R&B mais interessantes de se ouvir, mesmo que as novas canções não tenham o mesmo apelo conhecido de suas obras anteriores.

O primeiro single, 24K Magic, dá o tom de todo o disco. O novo trabalho vai direto ao ponto usando o funk eletrônico para refinar todas as canções, que evocam o melhor do R&B das últimas décadas. Até as conhecidas baladas apresentam agora uma melodia mais sofisticada.

Bruno Mars é um showman completo, sabe tirar proveito de todas as mídias. Seus videoclipes são sempre muito bem produzidos e suas apresentações na TV sempre rendem grandes espetáculos.

Ainda não se sabe se o novo álbum conseguirá fazer o mesmo sucesso que os anteriores. Bruno Mars segue a mesma linha de outros artistas contemporâneos que aos pouco vão se modificando, preferindo apresentar trabalhos mais intimistas que destaquem uma vertente musical mais próximas a suas origens. Certeza mesmo é que Bruno tem tudo para futuramente ser reverenciado como Michael Jackson – uma de suas maiores inspirações – e talento para isso não lhe falta.