Review | Gaga: Five Foot Two

Stefani Joanne Angelina Germanotta ou simplesmente Lady Gaga. Um dos maiores fenômenos musicais surgidos na última década é tema da nova produção da Netflix Gaga: Five Foot Two. Mas diferentemente de retratarem a diva pop, este documentário vai atrás de sua criadora. Esse é um filme sobre Stefani.

Esqueça tudo que você sabe sobre a carreira e a vida de Lady Gaga. O documentário apresenta uma visão inédita da vida da cantora, em situações totalmente desconhecidas dos fãs. A produção recorta uma etapa da vida da cantora: desde o planejamento de seu último álbum “Joanne”, passando pelas crises amorosas e familiares, intercalando os dramas e os sucessos profissionais com momentos casuais, até as dores que sente até hoje após fraturar o quadril em 2012, passando pelas descobertas que fez sobre sua tia, Joanne Germanotta, que inspirou o último disco. A última etapa mostrada é a preparação para a memorável apresentação na final do Super Bowl, em fevereiro de 2017.

Não é a primeira vez que uma produção se dedica a desconstruir a imagem pública de um astro. Em 1991, Madonna apresentou esse gênero com Na Cama com Madonna. A partir de então, diversas produções de formato parecido foram vistas. A própria Netflix recentemente fez isso com What Happened, Miss Simone? sobre a controversa figura de Nina Simone. Amy (2015) vencedor do Oscar de Melhor Documentário também é outro importante registro que emocionou o público com os últimos registros de Amy Winehouse.

Gaga: Five Foot Two pega o público de surpresa logo no começo com as revelações do término do noivado entre Gaga e o ator Taylor Kinney. Abalada, a cantora precisa seguir em frente. E é com o coração partido que Gaga começa o processo de composição de suas novas músicas. É dessa forma também que ela vai atrás de informações sobre o passado de sua família, em especial as que envolvam a tia Joanne. O encontro com a avó rende uma das cenas mais emocionantes, quando Gaga apresenta a canção que compôs para a tia que nunca conheceu.

O álbum “Joanne” foi pensado para marcar uma nova fase da carreira da cantora, que agora encontra-se definitivamente preparada para mostrar quem ela realmente é. Depois de todos os exageros do início de sua carreira, como os figurinos extravagantes, as coreografias e os videoclipes elaborados, esses elementos que ajudaram a compor a figura excêntrica da cantora, nesta nova fase, foram deixados de lado.

Ajudando no processo de transição para essa nova fase, surge a importante figura do produtor Mark Ronson. É com ele que Gaga vai buscar novos ritmos, rever sua relevância no cenário musical e enfrentar um ambiente majoritariamente machista. Mark serve também como um amigo que acaba presenciando várias crises da cantora. Mas Gaga sabe que precisa mostrar para o público quem realmente é e expor tudo aquilo que quer falar.

Com a proximidade do aguardado lançamento do novo álbum, Gaga vê também suas dores físicas aumentarem. O tratamento é filmado sem censura. Muitos procedimentos médicos são mostrados, ao ponto de Gaga se incomodar, se sentindo culpada por ter todo o acesso necessário para o tratamento, ao contrário de muitas outras pessoas que sofrem com o mesmo problema e não podem ter o tratamento disponível.

Lady Gaga era uma das atrações mais esperadas do Rock in Rio, mas pegou todos de surpresa quando na véspera da apresentação resolveu cancelar sua participação no festival. Veio a público a revelação que a estrela vem tratando de uma fibromialgia severa, condição que a fez cancelar vários shows marcados da nova turnê.

Mas a relação de Gaga com seus fãs é tão sincera e pessoal, que logo após a surpresa do cancelamento, uma porção de fãs iniciaram uma corrente de amor desejando saúde a cantora e votos para que ela se recupere e volte o mais rápido possível aos palcos. O documentário dá uma visão bem clara dos sacrifícios que a diva pop se submete para sempre estar próxima aos fãs e agora ela recebe o mesmo carinho.

Um dos momentos mais importantes da vida de um artista é quando ele é escolhido para se apresentar no concorridíssimo intervalo da final do campeonato de futebol americano. O Super Bowl é o evento televisivo mais assistido dos Estados Unidos e a aguardada performance de um artista no intervalo do jogo é responsável por ditar a tendência musical pelas próximas semanas. Facilmente as músicas executadas durante este show voltam as paradas musicais e aquelas que não estavam tão bem acabam surpreendendo. A mídia toda acaba repercutindo esse evento.

Escolhida para se apresentar em 2017, o documentário vai atrás de Gaga para mostrar a preparação da estrela para o tão aguardado momento. As aflições que se seguem com figurinos, coreografias e canções são mostradas, até quando chega o grande momento, onde Gaga faz um espetáculo perfeito, executando seus maiores hits e levando o público ao delírio.

Mesmo mostrando o processo de criação de um álbum, o documentário está disposto mesmo a retratar o cotidiano de uma artista e toda a solidão envolvida, tão presente na vida de tantas celebridades. Stefani enfrenta todo o peso de ser Lady Gaga o dia inteiro para milhões de pessoas.

Com ótima trilha sonora, executando as canções do novo disco, Gaga: Five Foot Two é um recorte impressionante do trabalho de uma artista que sabe que suas ações podem mobilizar milhares de fãs ao redor do mundo. O filme é um importante registro de uma das mentes mais intensas e criativas da música atual.

Com tanta verdade mostrada, em meio a tantas vulnerabilidades, o documentário não é apenas feito para os milhões de fãs da cantora. É para todos aqueles que gostam de música e de determinados artistas. É raro a forma com que o artista é exposto, apresentando uma forma sincera do processo de criação de algo importante, que acaba representando aquilo que o artista quer dizer e o mais importante, daquilo que o artista é.