Review | Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Desde que a Marvel anunciou que o Homem-Aranha faria parte de seu universo cinematográfico, a expectativa para o novo filme do jovem herói ficou dividida. Muitos ficaram desconfiados com outro reboot tão precoce (confesso que fui um deles), enquanto outros acreditavam que, agora nas mãos da Marvel, o herói enfim estaria no lugar onde merece.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar serve exatamente para situar o teioso no meio da bagunça que os Vingadores causaram em Capitão América: Guerra Civil e mostrar porque ele é conhecido como o amigo da vizinhança. O diretor Jon Watts (Cop Car) não tem mais a necessidade de mostrar novamente toda a iniciação de Peter Parker (Tom Holland) como o Homem-Aranha, desde a picada, a morte de seu tio, entre outros fatos que já vimos nos cinco filmes anteriores. Ele usa muito bem o roteiro para desenvolver Peter e fazer com que criemos empatia pelo personagem e também por Holland, que está à vontade no papel.

O filme tem início logo após a fatídica Guerra Civil entre os Vingadores e somos apresentados ao ótimo personagem de Michael Keaton (Birdman), que no decorrer do filme se revela o Abutre, talvez o melhor vilão já desenvolvido pela Marvel, com boas motivações e que não serve apenas como muleta para o triunfo do herói. Robert Downey Jr. e seu Tony Stark poderiam ser um problema, mas o ator está contido e não rouba a cena mais do que deveria. Ele funciona bem para situar o cabeça de teia no universo dos Vingadores e também para o desenvolvimento da história.

Quem assistiu aos trailers pode imaginar que eles entregaram demais do filme, porém ainda existem bons momentos a serem vistos na telona. Talvez alguns se incomodem com a ação do filme que demora a acontecer e, quando acontece, não é tão descomunal quanto outros filmes da Marvel.

Os pontos negativos ou fracos, ficam com a atriz Laura Harrier e sua personagem Liz – o crush de Peter – que não convence quando aparece, mesmo que poucas vezes. Outra que poderia aparecer mais é Tia May (Marisa Tomei) e os marmanjos ficarão frustrados com suas raras aparições. Existe também a última batalha que poderá ficar bem ruim se vista em 3D, mas nada que faça o filme perder força.

Todos os demais elementos da trama funcionam perfeitamente bem em harmonia, o humor está ali na medida certa e, principalmente, na hora certa, a trama é desenvolvida sem pressa, o vilão tem motivações que convencem, Peter vive seus dramas e tem sua própria redenção, enfim, tudo isso faz de Homem-Aranha: De Volta ao Lar talvez o melhor dentre todos os filmes com o personagem. Pode-se dizer que, finalmente, o Homem-Aranha está de volta ao lar.

Aos desavisados: existem duas cenas pós-créditos, uma logo após os primeiros créditos animados e outra ao final de toda a projeção (essa, aliás, é genial).

Este slideshow necessita de JavaScript.